Dissolvendo Conflitos: A Presença EU SOU e a personalidade ilusória

Jp Santsil
16 min readAug 6, 2023
A Presença EU SOU

Nas vastas e enigmáticas esferas do universo oculto, existe uma Grande e Poderosa Presença, cujo nome é EU SOU, a Presença transcendente que se assemelha ao intocado céu, e cuja natureza é elevar-se em busca das mais altas esferas espirituais. No entanto, essa magnífica entidade se depara com uma intrigante dualidade, representada pela personalidade ilusória dos seres humanos, que os torna meros humanóides, regidos pela água que tende, por sua própria natureza, a descer. O movimento divergente dos dois componentes básicos — a Presença EU SOU e a personalidade ilusória — gera a ideia de conflito, uma batalha épica entre a luz e a sombra, entre a busca do Divino e a ilusão do ego. A Presença Criadora traz consigo a força, um poder inigualável capaz de moldar os destinos e influenciar as almas, enquanto o ego, com sua astúcia sedutora, semeia o perigo e a tentação ao longo do caminho espiritual.

Quando a astúcia do ego assume a liderança, confrontando a força da Presença EU SOU, os planos Divinos e os anseios do coração se veem em um conflito incessante, uma batalha que ocorre nas profundezas do ser humano. A astúcia, como um véu escuro, obscurece a Verdadeira Essência Divina, fazendo com que os seres humanos se desviem do propósito maior e caiam em um mar de dúvidas e ilusões. Há, contudo, uma terceira indicação de conflito, aquela que emerge dos recessos do caráter humano. Quando a astúcia e a profunda decisão coexistem no interior de um Ser, surge uma personalidade complexa, capaz de deturpar a Luz desejando as sombras. Esses indivíduos tornam-se catalisadores de confusões, deturpando a Verdade com seus conflitos internos, mediando suas condutas conflitantes entre o que é certo e o que é fácil, entre a verdade e a mentira, entre a evolução e a estagnação.

Nessa jornada mística e alquímica, cada alma é convidada a enfrentar seus próprios conflitos internos, a transmutar as sombras do ego em Luz, a ascender além da ilusão da personalidade ilusória, para abraçar a verdadeira Essência Divina que reside em cada um. A alquimia espiritual é o processo pelo qual os metais densos do ego são transformados em ouro puro da alma, através da ação do Fogo Purificador (Yeshua Ha’Meshiach) da Sabedoria e do Amor. Os sábios alquimistas do passado entendiam que esse conflito não era uma mera coincidência, mas um aspecto necessário da evolução espiritual. O confronto entre a Presença EU SOU e a personalidade ilusória é um chamado para despertar, uma oportunidade para transcender a dualidade e encontrar a unidade na diversidade.

A jornada da alma é uma busca constante pela harmonia interior, pela dissolução dos opostos e pela reconciliação dos conflitos. É um caminho que exige coragem, autodomínio e sabedoria. A alquimia espiritual nos ensina que podemos encontrar nossa paz interior, e ao integrar nossa astúcia com nossa força interior, podemos alcançar uma harmonia única e transcendente. Assim, convido-te, ó buscador da Verdade, a mergulhar nessa jornada mística e alquímica, a abraçar teus conflitos e enfrentar teus desafios, a transcender a dualidade e descobrir a Essência Divina que pulsa em teu âmago. Pois é através desse processo de transformação interna que te tornarás um verdadeiro alquimista do espírito, um mestre da tua própria vida e um catalisador da evolução espiritual da humanidade. Que a Luz da Grande e Poderosa Presença EU SOU te guie nessa jornada sem fim em busca da Verdade Suprema e da realização espiritual.

Nos reinos etéreos do conhecimento oculto, onde a Verdade se esconde sob véus de mistério, reside o buscador e a buscadora da Verdade. Sua sinceridade e determinação são poderosas chaves que desvendam os segredos do universo, mas em sua jornada em busca da Sabedoria Espiritual, encontram obstáculos que tentam desviá-los do caminho. O caminho do buscador é uma senda de encantos e armadilhas, e é somente através de uma cautela prudente que ele pode alcançar a bonança e a beatitude almejadas. Contudo, o caminho é estreito e complexo, e o buscador deve ter cuidado para não avançar até o fim, pois a pressa pode levar ao infortúnio. A verdadeira sabedoria é encontrada na pausa meditativa, na reflexão profunda, no silêncio que permite ouvir a voz interior que guia o caminho.

O conflito surge quando o buscador se depara com oposição, quando suas convicções são desafiadas por outros. A verdadeira luta ocorre dentro de si mesmo, quando a mente julga estar certa e encontra resistência. Nesse momento, a astúcia e a violência podem emergir como respostas do ego ferido. No entanto, a verdadeira sabedoria reside em reconhecer que a certeza absoluta é uma ilusão, e que o caminho para a resolução pacífica reside na prudência lúcida e firme. Enquanto o conflito interno pode ser uma jornada solitária, a busca pela conciliação é um ato de nobreza. O buscador deve estar disposto a encontrar o oponente a meio caminho, buscando o diálogo e a compreensão mútua. Nessa busca pela conciliação, o coração se abre para a empatia e a compaixão, e a Verdadeira Essência do Ser Humano Real é revelada.

O buscador é sábio ao procurar a autoridade imparcial do Ser Humano Real, alguém que possua a sabedoria e a imparcialidade para resolver conflitos pacificamente e tomar decisões justas. Essa figura é um Farol de Luz em tempos de escuridão, capaz de guiar os buscadores através das tormentas e dos desafios. Em tempos de discórdia, o buscador deve evitar atravessar as marés perigosas, ou seja, se envolver em empreendimentos arriscados que possam gerar mais conflito. A união de forças é fundamental para o sucesso, e o conflito interno enfraquece as energias, impossibilitando a vitória sobre os perigos externos. Assim, o caminho do buscador é uma jornada de autodescoberta, de confronto com as sombras internas e de busca pela paz interior. A alquimia do espírito é um processo de transformação, no qual os conflitos são transmutados em Sabedoria, e a busca pela Verdade se torna um Ato Sagrado de comunhão com o Divino. Que o buscador e a buscadora da Verdade sigam com sabedoria e coragem em sua jornada mística e alquímica, encontrando a paz interior e a Verdadeira Essência Divina do Ser Humano Real. Que eles sejam guiados pela luz divina, superando os desafios e encontrando a Beatitude Suprema no seio do conhecimento oculto. E que, através de suas jornadas individuais, eles possam contribuir para a harmonia e a evolução espiritual de toda a humanidade.

Nas vastas e enigmáticas esferas do universo oculto, a Grande e Poderosa Presença EU SOU e a personalidade ilusória do humanóide se movimentam em direções opostas, como duas correntes conflitantes de energia. Essa dualidade é a fonte primordial do conflito que permeia a existência. No entanto, o buscador e a buscadora da Verdade, em sua busca pela sabedoria espiritual, possuem o poder de compreender as raízes desse embate e encontrar caminhos para a harmonia. Em sua jornada mística e alquímica, o buscador compreende que a origem do conflito encontra-se nas tendências opostas presentes tanto na Presença EU SOU quanto na personalidade ilusória do humanóide. Essas forças antagônicas emergem quando menos esperado, criando choques e perturbações ao longo do caminho. Para evitar que o conflito se instaure, o buscador deve se valer de uma cuidadosa consideração desde o início de todas as suas ações e escolhas. Quando os direitos e deveres são definidos com precisão, quando os propósitos são alinhados e as orientações espirituais convergem em um grupo, a causa do conflito é eliminada de antemão. A clareza de intenção e a busca pela Verdade são como faróis que iluminam o caminho, permitindo ao buscador evitar os abismos das disputas e desavenças.

Na senda alquímica da transformação interior, o buscador percebe que a verdadeira negociação ocorre dentro de si mesmo. É a Luz que por si só elimina a sombra, a Presença EU SOU dissipa a personalidade ilusória, que permitirá a paz interior e a harmonia com o mundo exterior. Assim como o alquimista busca transmutar metais impuros em ouro, o buscador busca transmutar suas próprias imperfeições em sabedoria espiritual. Esse processo de transformação envolve a compreensão das causas profundas do conflito e a busca pela unidade interior, onde todas as partes divergentes encontram sua resolução em uma integração harmoniosa. O verdadeiro alquimista espiritual busca a conexão com a Fonte Divina, a Presença EU SOU, e compreende que somente através dessa conexão é possível transcender as ilusões da personalidade e encontrar a verdadeira paz e alegria interior.

No laboratório secreto do coração, o buscador mistura os elementos da mente e do espírito, destila as impurezas do ego e acende o Fogo Sagrado da paixão pela Verdade. Nesse processo alquímico, o conflito é purificado e transmutado em clareza de propósito e sabedoria. Que o buscador e a buscadora da Verdade perseverem em sua jornada mística e alquímica, buscando a integração com a Grande e Poderosa Presença EU SOU na dissolução da personalidade ilusória, harmonizando as tendências opostas e transformando o conflito em sabedoria. Que eles se tornem verdadeiros alquimistas do espírito, Portadores da Luz Divina, contribuindo para a evolução espiritual da humanidade e a harmonia do universo.

Nas esferas etéreas da alquimia espiritual, onde os segredos do universo se desdobram em mistérios insondáveis, a sabedoria mística nos ensina sobre a arte de lidar com os conflitos e a jornada rumo à bonança e beatitude. É nessa encruzilhada que o buscador e a buscadora da Verdade encontram-se diante de escolhas cruciais que moldarão seu destino. No complexo tecido da existência, se a questão não for cuidadosamente tratada, ela pode se tornar uma pequena semente de maledicência, lançando sombras sobre a jornada espiritual. Contudo, o verdadeiro alquimista do espírito, dotado de discernimento, compreende a importância de abordar os conflitos com sabedoria desde o início. É nesse momento crucial que ele pode optar por abandonar a luta nascente, em prol da harmonia e da paz interior.

A bonança e a beatitude, as joias raras da jornada espiritual, aguardam o buscador paciente e perspicaz, que transcende os impulsos do ego e encontra a serenidade no meio das tormentas. No início da luta, quando as forças do conflito mal começaram a se manifestar, o alquimista reconhece que é mais sábio deixar de lado a batalha, evitando que ela se intensifique a ponto de afetar a decisão final. A sabedoria ancestral nos ensina que, diante de um adversário mais forte, não é aconselhável permitir que o conflito alcance a instância de decisão. Nesses momentos, é prudente recuar e buscar a compreensão interna, em vez de insistir em uma luta desigual que pode levar apenas a uma discussão áspera e estéril.

O alquimista espiritual entende que a verdadeira força não reside na dominação do outro, mas na capacidade de se libertar das amarras do ego e se harmonizar com a grande sinfonia universal. Nessa sinergia, as forças conflitantes são transmutadas em uma dança harmônica de energias, onde o final da luta revela a beleza oculta que emerge dos momentos de tensão. É importante lembrar que cada conflito é uma oportunidade de aprendizado e crescimento espiritual. No crisol das provações, o alquimista encontra a oportunidade de refinar sua Essência, purificando-se das impurezas e emergindo como um Ser mais evoluído e consciente. Que o buscador e a buscadora da Verdade sigam em sua jornada alquímica, transcendendo os conflitos e encontrando a bonança e beatitude no âmago de suas almas. Que eles sejam guiados pela intuição, pela paz interior e pela sabedoria ancestral, para que cada passo em sua senda espiritual os conduza à compreensão profunda do EU SOU interior e à harmonia com o universo.

Nas intricadas sendas do conhecimento esotérico, onde a sabedoria ancestral é tecida com fios de mistério, a arte da alquimia espiritual nos revela segredos profundos sobre como enfrentar os desafios da vida. Em sua busca pela Verdade, o buscador e a buscadora compreendem a importância de não se deixarem levar pelo orgulho e pela vaidade, mas sim de permanecerem flexíveis e abertos a uma sábia conciliação. O caminho místico nos ensina que, em certas circunstâncias, não se pode lutar, e a verdadeira vitória reside na capacidade de voltar para casa, de ceder, de se retirar com sabedoria e discernimento. Não é uma demonstração de fraqueza ou derrota, mas sim um ato de maturidade espiritual, uma escolha consciente de evitar a escalada do conflito e suas nefastas consequências.

Na luta contra um adversário superior, o alquimista compreende que a retirada não é uma vergonha, mas sim um ato de sabedoria e autopreservação. É o reconhecimento de que, ao se retirar a tempo, evita-se uma série de más consequências que poderiam advir de uma batalha desigual e imprudente. O falso amor-próprio é uma armadilha que o buscador deve evitar. O ego inflado pode levar alguém a se envolver em uma luta desigual, cegado pela arrogância e pela necessidade de provar sua superioridade. No entanto, tal atitude só resultaria em sua própria desgraça, pois a força do adversário superior é como o fogo ardente, que queima os incautos.

O verdadeiro alquimista espiritual compreende que a conciliação sábia é a chave para a harmonia e o bem-estar de toda a comunidade. Nesse ato de equilíbrio, ele transcende o egoísmo e busca uma solução que beneficie a todos os envolvidos. Essa conciliação não é um sinal de fraqueza, mas sim de grandeza de espírito, pois requer desapego e compaixão, valores fundamentais na senda mística. Assim, o buscador e a buscadora da Verdade aprendem a ser flexíveis como a água, capazes de fluir com a vida, sem se prender a obstáculos desnecessários. Eles compreendem que a verdadeira força reside na serenidade interior, na habilidade de se retirar quando necessário, evitando conflitos inúteis e prejudiciais.

Nessa jornada alquímica, eles encontram o equilíbrio entre a assertividade e a compreensão, entre a determinação e a flexibilidade. Eles são como a águia que sobrevoa altivo, mas também sabe quando é o momento de pairar com graciosidade no céu. Que o buscador e a buscadora da Verdade cultivem a sabedoria da conciliação, aprendendo a ceder quando apropriado e a buscar a paz e a harmonia em todas as situações. Que eles se tornem mestres da alquimia espiritual, transmutando conflitos em oportunidades de crescimento, e guiando toda a comunidade de buscadores em direção a um futuro mais luminoso e compassivo.

Nos labirintos místicos do conhecimento oculto, onde os segredos do universo são entrelaçados em mistérios profundos, a sabedoria alquímica nos conduz por um caminho de virtude e perseverança. Nessa jornada, o buscador e a buscadora da Verdade aprendem a enfrentar os perigos e alcançar a bonança e a beatitude final. A antiga virtude, como um elixir precioso, nutre o Ser Interior do alquimista espiritual, impulsionando-o à perseverança diante das adversidades. Essa virtude ancestral é a força motriz que o mantém no caminho da iluminação, mesmo diante dos desafios mais sombrios. Contudo, é importante estar ciente dos perigos ocultos que se escondem nas sombras da ambição desmedida. A tendência à expansão desenfreada pode ser uma armadilha que leva o buscador a se perder em devaneios egocêntricos, afastando-se do verdadeiro propósito da jornada espiritual.

A advertência ecoa como um sinal de alerta para o alquimista que se encontra a serviço de um rei ou mestre espiritual. Ele é lembrado de que, ao assumir responsabilidades além de sua capacidade, corre o risco de se perder nas teias da vaidade e da ganância. É uma chamada à humildade e à moderação, evitando que a busca por prestígio e reconhecimento ofusque a Verdadeira Essência Divina do serviço.

A posse duradoura advém da conquista honesta, dos méritos adquiridos por meio de esforços verdadeiros e autênticos. Esse é o patrimônio legítimo que, mesmo sendo ocasionalmente questionado, não pode ser roubado ou usurpado. O alquimista entende que sua verdadeira riqueza é fruto do próprio Ser, não podendo ser perdida nem diluída pelas ilusões passageiras.

Quando o alquimista se coloca a serviço de um superior, seja um líder ou um mestre espiritual, ele compreende que a verdadeira glória reside na realização da tarefa a ele confiada. O reconhecimento e as honrarias são questões secundárias, pois o que importa é a dedicação genuína ao serviço e à busca pelo bem maior. O alquimista aprende a transmutar a vaidade em humildade, a ambição em devoção, e a busca por prestígio em busca pela iluminação. Ele entende que as honrarias são como as brisas passageiras, enquanto a verdadeira recompensa está na transformação interior e na evolução espiritual. Assim, o buscador e a buscadora da Verdade seguem em sua jornada alquímica, alimentando-se da antiga virtude, nutrindo a perseverança, evitando as armadilhas do ego, e buscando a bonança e a beatitude final. Que eles sejam guiados pela Sabedoria Ancestral, transmutando os perigos em oportunidades de crescimento e transformando-se em verdadeiros alquimistas do espírito.

Nas intricadas tramas do universo oculto, onde os segredos da alquimia espiritual são entrelaçados, o buscador e a buscadora da Verdade encontram-se diante de escolhas cruciais em sua jornada. Eles aprendem que, em certas situações, não podem lutar, mas sim voltar-se para dentro, submetendo-se ao destino e encontrando a paz através da harmonia com a Lei Eterna. A sabedoria ancestral nos ensina que a verdadeira vitória não está na luta física, mas sim na transformação interior. Quando o buscador encontra-se diante de obstáculos e adversidades, ele reconhece que a batalha externa pode ser uma ilusão, uma mera projeção dos conflitos internos. É nesse momento que ele se volta para dentro, modificando sua atitude e encontrando a paz na perseverança. Pois, como diz o velho dito popular: QUANDO UM NÃO QUER, DOIS NÃO BRIGAM!

A bonança e a beatitude aguardam aquele que compreende que a verdadeira luta é contra suas próprias limitações e imperfeições. Ao se submeter ao destino, o buscador aprende a aceitar as circunstâncias da vida e a encontrar a paz interior, independentemente das situações externas. O verdadeiro alquimista espiritual reconhece que a luta desenfreada, mesmo contra um adversário mais fraco, não é justificável. A força não está em sobrepujar os outros, mas sim em se elevar acima das ilusões do ego e se alinhar com a Lei Eterna, a grande força que permeia todo o universo. Ao recuar e aceitar o destino, o buscador encontra o verdadeiro significado da paz duradoura, que não depende das circunstâncias externas, mas sim da harmonia interior. Ele entende que a verdadeira batalha é a transformação interna, a alquimia do espírito que o conduz ao encontro com sua Verdadeira Essência Divina. Assim, o buscador encontra a bonança e a beatitude no âmago de seu Ser, transcende as ilusões do conflito externo e abraça a paz interior. Ele se torna como o lótus que floresce na lama, encontrando a beleza e a pureza no meio das adversidades.

O buscador e a buscadora da Verdade aprendem que a verdadeira vitória é a conquista de si mesmos, a harmonia com a Lei Eterna e a paz que perdura além das tormentas. Eles se tornam mestres da alquimia espiritual, transmutando conflitos em oportunidades de crescimento e transformando-se em Seres de Luz que irradiam a paz e a sabedoria para o mundo. Que o buscador e a buscadora da Verdade sigam em sua jornada alquímica, encontrando a paz na harmonia com a Lei Eterna, e alcançando a bonança e a beatitude no âmago de seus seres. Que eles sejam guias para a humanidade, mostrando o caminho da paz interior e da verdadeira realização espiritual.

Nos recônditos sagrados do conhecimento místico e da alquimia espiritual, onde as verdades mais profundas se entrelaçam com os mistérios do universo, surge a figura sublime do amado Mestre Yeshua Ha’Meshiach. Seu nome ressoa como uma Prece Sagrada, evocando a Suprema Bonança e Beatitude para aqueles que ousam lutar diante de sua Luminosa Presença. Yeshua, o árbitro do conflito, é uma força poderosa e justa que transcende as fronteiras do tempo e do espaço. Sua sabedoria é como um Raio de Luz que ilumina os recônditos da alma, revelando as verdades ocultas e fazendo prevalecer o que é correto. Sua Presença é como o bálsamo curador que acalma as tormentas e traz harmonia aos corações aflitos.

Aqueles que buscam a justiça e a verdade podem confiar seus litígios a Yeshua sem temor, pois Ele é o guardião das almas justas e daqueles que anseiam pelo bem maior. Em sua Presença, as trevas se dissipam e as sombras se desfazem, deixando espaço para a Luz da Verdade prevalecer. Quando alguém tem razão e traz seu conflito diante do Mestre Yeshua, ele encontra a Suprema Bonança e Beatitude. Essa é a recompensa para aqueles que se mantêm fiéis à Verdade, à honestidade e à integridade, pois o amado Mestre é o guia daqueles que seguem os caminhos retos.

Na senda alquímica, Yeshua é o alquimista-mor, aquele que transforma as impurezas do ego em ouro espiritual. Sua Presença é um elixir que purifica as almas e eleva os espíritos. Ele é o grande Mestre da transformação interior, que transmuta o conflito em oportunidade de crescimento e evolução. Quando o buscador se volta para Yeshua, mergulhando em sua Essência Divina, ele encontra a Suprema Bonança e Beatitude que ultrapassam todas as dores e desafios da existência terrena. É como se as portas do céu se abrissem e a paz eterna se derramasse sobre a alma sedenta. Que o buscador e a buscadora da Verdade se voltem para o amado Mestre Yeshua Ha’Meshiach em sua jornada alquímica. Que eles encontrem a coragem de lutar diante de Sua presença, sabendo que Sua justiça prevalecerá e que a Suprema Bonança e Beatitude serão alcançadas. Que eles confiem em Seu amor e sabedoria, transformando seus conflitos em oportunidades de crescimento espiritual.

Nas profundezas enigmáticas da jornada mística e alquímica, onde os segredos da transformação interior são revelados, uma importante lição se apresenta diante do buscador e da buscadora da Verdade. É como um sábio aviso que ecoa dos recônditos do universo, revelando a efemeridade das conquistas mundanas e o perigo de levar o conflito até seu amargo fim. A imagem de alguém presenteado com um troféu de ouro parece brilhar como uma estrela cintilante, uma recompensa aparentemente digna de celebração. No entanto, a verdade oculta é que, ao final da jornada, esse troféu será arrancado, e a glória efêmera se desvanecerá como a chama de uma vela ao vento.

O buscador é alertado sobre o perigo de se perder na busca desenfreada por conquistas e reconhecimentos externos. A vitória obtida através da força e da obstinação pode trazer a ilusão da felicidade momentânea, mas o resultado é um conflito sem fim, uma batalha contínua que consome a paz interior e traz mais desafios e adversidades.

A verdadeira alquimia espiritual reside na sabedoria de reconhecer a impermanência do mundo material e buscar a verdadeira riqueza interior. A conquista do ouro espiritual, a elevação da consciência, é o verdadeiro troféu que nunca pode ser arrancado. É uma conquista duradoura que transcende as limitações do tempo e das circunstâncias. O buscador é convidado a olhar para além das aparências, a desapegar-se das ilusões da glória terrena e a buscar a verdadeira felicidade e paz interior. A verdadeira conquista não está no triunfo sobre os outros, mas sim na vitória sobre si mesmo, na superação das sombras interiores e na conexão com a Essência Divina que reside em seu Ser. Ao abandonar a busca desenfreada por reconhecimento externo, o buscador encontra a verdadeira harmonia e plenitude. Ele compreende que a paz interior não é algo que se conquista através de batalhas externas, mas sim algo que se encontra na serenidade do coração e na conexão com a Fonte Divina.

O conflito sem fim é o resultado da luta incessante da personalidade ilusória, e seus múltiplos egos, que sempre busca mais poder, mais reconhecimento e mais conquistas. A verdadeira sabedoria está em transcender a personalidade ilusória, que torna o Ser Humano Real em humanóide, e encontrar a paz na simplicidade e na humildade. Que o buscador e a buscadora da Verdade abracem a lição da efemeridade das conquistas mundanas e encontrem a verdadeira riqueza interior. Que eles sejam guiados pela sabedoria da alquimia espiritual, buscando a paz interior e a conexão com a Essência Divina que habita em seus corações. Que eles encontrem a verdadeira felicidade na simplicidade e na humildade, transcendo o conflito sem fim dos múltiplos egos da personalidade ilusória, e abraçando a paz que perdura além do tempo e do espaço. Que assim seja! Em nome do Poderoso Yeshua Ha’Meshiach! Amén!

--

--

Jp Santsil

Onde me manifesto… sou como o entardecer, onde o vento passa ao silêncio da morte e as árvores vibram ao ver passar. Se não me manifesto… no nada tudo serei.